31 julho 2009

Português para Concursos em Áudio - Conheça meu novo Blogue

portugues em audio
Este post não é propriamente uma aula de Português. É, na verdade, uma forma de comunicar a todos os leitores do [Português para Concurso] o meu mais recente blogue/projeto o
[Português em Áudio].
Desde que gravei as videoaulas e as hospedei no YouTube, recebo muiiiitos e-mails. Alguns agredecem, cobram mais aulas, sugerem assuntos; outros tiram dúvidas, incentivam etc.
Contudo, a principal reclamação é o tempo oferecido pelo YouTube para os vídeos. :(

5 Dicas Para Usar Os Porquês

uso dos porquês
Conhecemos várias regras para empregar o porquê corretamente, porém dificilmente nos lembramos delas quando temos de resolver uma questão de Português. É óbvio que, sabendo dessa dificuldade, as bancas de Concurso exploram esse assunto.
Como sou a favor da teoria objetiva, ou seja, sem rodeios, complicações, gambiarras etc. Darei algumas dicas para que não haja mais dificuldade nestas questões. Vamos à aula!

  • Por que: usa-se quando puder ser substituído por "pelo qual".
Dica 1: há duas palavras separadas e nenhum acento em "por que". Esta será substituída também por duas palavras separadas e sem acento - pelo qual.


Essa é o apartamento POR QUE sempre ansiei.
Essa é o apartamento PELO QUAL sempre ansiei.


Dica 2: quando houver a possibilidade de acrescentar a palavra motivo, trocamos por pelo qual ou por qual. Observe:
POR QUE ele não fez o exercício?
POR QUAL MOTIVO ele não fez o exercício?


Quero saber POR QUE ele não fez o exercício.
Quero saber POR QUAL MOTIVO ele não fez o exercício.



  • Porque: usa-se para substituir a conjunção "pois".
Dica 3: há somente uma palavra, sem acento; logo, a substituição se dará também por uma palavra, sem acento. Usa-se em resposta.



Ela não comprou PORQUE não quis.
Ela não comprou POIS não quis.


Venha PORQUE gostamos de você.
Venha POIS gostamos de você.
  • Porquê: usa-se, quando puder ser substituído pela palavra Razão.
Dica 4: há uma palavra e um acento. Já em "razão", existe uma palavra e um traço de nasalidade (~).


Dê-me um PORQUÊ do seu atraso.
Dê-me uma RAZÃO do seu atraso.



Dica 5:
há possibilidade de flexão, neste caso.
Não aceito mais seus irônicos PORQUÊS.
Não aceito mais suas irônicas RAZÕES.
  • Por quê: é empregado em um caso único - final de frase ou quando a expressão estiver isolada.
Você não veio ontem, POR QUÊ?
Você reclama de tudo, POR QUÊ, meu filho?




Espero que esta aula tenha ajudado.
Até já,
Prof. Eliane Vieira

Apostila de Raciocínio Lógico para Concursos

raciocínio lógico
Para complementar a seção Download do [Português | Concurso], posto o link (encontrado no Shared) de uma apostila de Raciocínio Lógico para Concursos. Aproveitem!




  • Apostila de Raciocínio Lógico para Concurso





  • Termos de Uso
    : Todos os links e arquivos que se encontram no site, estão hospedados na própria Internet, somente indicamos onde se encontra, não hospedamos nenhum CD ou programas que seja de distribuição ilegal. - Qualquer arquivo protegido por algum tipo de lei deve permanecer, no máximo, 24 horas em seu computador. - Eles podem ser baixados apenas para teste, devendo o usuário apagá-lo ou comprá-lo após 24 horas. - A aquisição desses arquivos pela internet é de única e exclusiva responsabilidade do usuário. - Os donos, webmasters e qualquer outra pessoa que tenha relacionamento com a produção do site não têm responsabilidade alguma sobre os arquivos que o usuário venha a baixar e para que irá utilizá-los.

    Apostila de Informática para Concursos

    informáticaMais uma Apostila para compor a seção Download do nosso blogue. Aproveitem!

  • Apostila de Informática para Concurso






  • Termos de Uso
    : Todos os links e arquivos que se encontram no site, estão hospedados na própria Internet, somente indicamos onde se encontra, não hospedamos nenhum CD ou programas que seja de distribuição ilegal. - Qualquer arquivo protegido por algum tipo de lei deve permanecer, no máximo, 24 horas em seu computador. - Eles podem ser baixados apenas para teste, devendo o usuário apagá-lo ou comprá-lo após 24 horas. - A aquisição desses arquivos pela internet é de única e exclusiva responsabilidade do usuário. - Os donos, webmasters e qualquer outra pessoa que tenha relacionamento com a produção do site não têm responsabilidade alguma sobre os arquivos que o usuário venha a baixar e para que irá utilizá-los.

    29 julho 2009

    Simulado para Concurso com Gabarito

    simulado para concurso
    Caríssimos, esta é uma excelente oportunidade para você testar os seus conhecimentos morfológicos e sintáticos, uma vez que Português é matéria certa em TODOS os Concursos.
    Treine! São 100 questões com Gabarito, elaboradas pelo Instituto Marconi. Vale a pena!

    Oração Reduzida - Concurso

    oração reduzida
    As orações reduzidas, ao contrário das desenvolvidas, não apresentam conjunções subordinativas nem pronomes relativos. Outra característica fundamental é o verbo em forma nominal, ou seja, infinitivo, particípio ou gerúndio. Vejamos alguns exemplos:



    Penso estar preparado para o concurso.
    Fazendo dessa forma, não conseguirás atingir seu objetivo.
    É bom ficarmos atentos ao telefone.

    Todas essas orações são reduzidas, pois apresentam verbos nas formas nominais e não são introduzidas por conectores. Se as desenvolvêssemos, assim ficaria:


    Penso que estou preparada para o concurso.
    Se fizeres dessa forma, não conseguirás atingir seu objetivo.
    É bom que fiquemos atentos ao telefone.

    Há, portanto, oração subordinada substantiva objetiva direta, oração subordinada adverbial condicional e oração subordinada substantiva subjetiva, respectivamente. Essas são introduzidas por conectores e apresentam o verbo flexionado em modo e tempo.

    Mais simples que isso, impossível!
    Até já,
    Prof. Eliane Vieira

    27 julho 2009

    Testes e Provas para Concurso

    simulado
    Encontrei no shared uma apostila com alguns exercícios de Português para Concurso, achei bem interessante porque envolve todos os assuntos estudados aqui no [Português | Concurso], inclusive redação e interpretação de textos.Vale a pena.
    Créditos: Download Apostila Concurso



    • Testes e provas para Concurso


    Termos de Uso
    : Todos os links e arquivos que se encontram no site, estão hospedados na própria Internet, somente indicamos onde se encontra, não hospedamos nenhum CD ou programas que seja de distribuição ilegal. - Qualquer arquivo protegido por algum tipo de lei deve permanecer, no máximo, 24 horas em seu computador. - Eles podem ser baixados apenas para teste, devendo o usuário apagá-lo ou comprá-lo após 24 horas. - A aquisição desses arquivos pela internet é de única e exclusiva responsabilidade do usuário. - Os donos, webmasters e qualquer outra pessoa que tenha relacionamento com a produção do site não têm responsabilidade alguma sobre os arquivos que o usuário venha a baixar e para que irá utilizá-los.

    Oração Subordinada Adverbial - Concurso

     oração subordinada adverbial
    Já tínhamos estudado no [Português|Concurso] as orações substantivas e as adjetivas, faltando apenas as adverbiais. Estas exprimem sempre uma circunstância relativa a um fato expresso na oração principal, tais circunstâncias podem ser de tempo, causa, condição , concessão...
    Compare os exemplos:

    1. Precisamos ir de manhã.
    2. Precisamos ir quando amanhecer.


    Na frase 1, a locução "de manhã" exerce, sintaticamente, a função de adjunto adverbial de tempo; temos, somente, uma oração e não há conector.
    Já na 2, "quando amanhecer" é uma oração subordinada adverbial, expressa valor temporal, além de ser introduzida pelo conector "quando".
    Veremos abaixo, as classificações das orações adverbiais, bem como as conjunções que as introduzem. Bons Estudos!

    1) Causais: exprimem causa, motivo, razão.
    Principais conjunções: porque, visto que, já que, uma vez que, como...


    Como cheguei atrasado, não consegui fazer a prova.
    Não sei isto, porque não estudei.

    2) Comparativas: representam o segundo termo de uma comparação.
    Principais conjunções: como, que, do que...


    O som é menos veloz que a luz.
    Coca-Cola é melhor do que Pepsi.

    3) Concessivas: exprimem um obstáculo ao fato expresso na oração principal, porém sem impedi-lo.
    Principais conjunções: embora, se bem que, por mais que, ainda que, mesmo que, conquanto...


    Por mais que estudasse, não aprendia nada.
    Ainda que chova, iremos ao teatro no próximo domingo.


    4) Condicionais: exprimem condição, hipótese:
    Principais conjunções: se, caso, contanto que...


    Se fizesse o que eu digo, não estaria assim.
    Você será aprovado, desde que estude.


    5) Conformativas: exprimem acordo ou conformidade de um fato com outro.
    Principais conjunções: como, conforme, segundo...


    Fiz tudo como me ordenaram.
    Vim hoje, conforme falei.

    6) Consecutivas: exprimem uma consequência, um resultado.
    Principais conjunções: que (precedida de tão, tal, tanto ), de modo que, de maneira que...


    A fumaça era tanta que mal pude respirar.
    Bebia tanto que era uma lástima.


    7) Finais: exprimem finalidade, objetivo.
    Principais conjunções: a fim de que, para que, porque e que (=para que)...


    Fiz-lhe sinal para que não falasse nada.
    "Orai, porque não entreis em tentação."

    8) Proporcionais: denotam proporção em relação a outro fato.
    Principais conjunções: à proporção que, à medida que, na medida em que...


    À medida que se estuda, mais se aprende.
    Quanto mais escuto jazz, mais o aprecio.

    9) Temporais: indicam o tempo em que se realiza o fato expresso na oração principal.
    Principais conjunções: quando, enquanto, logo que, desde que, assim que...




    Enquanto foi rico, todos o procuravam.
    Quando sair, feche a porta.


    Até já,

    Prof. Eliane Vieira

    Oração Adverbial - Exercícios com Gabarito

    orações adverbiais
    Vamos treinar! 20 Exercícios de Português para Concurso sobre Orações Subordinadas Adverbiais. Mãos à obra.

    1. O amor não só traz alegria como também alimenta. Neste período, a conjunção é:


    a) subordinativa causal;
    b) coordenativa aditiva;
    c) coordenativa conclusiva;
    d) subordinativa comparativa;
    e) conformativa.

    2. “O mais certo é não dirigir veículo sem carta de habilitação”, a oração sublinhada é reduzida de infinitivo com valor de subordinada:


    a) adverbial;
    b) coordenada:
    c) adjetiva;
    d) substantiva;
    e) reduzida.

    3. Qual dos períodos abaixo não apresenta oração substantiva?


    a) pensei estar bem informado;
    b) conclui estarmos enganados;
    c) prepara-te, para não decepcionares;
    d) Paulo era incapaz de cumprir a promessa;
    e) é proibido fumar.

    4. Assinale a opção em que a troca do termo extraído do trecho abaixo pela forma colocada entre parênteses implicaria sensível alteração de sentido:

    “Uma observação mais cuidadosa revela, porém (A), que Ciência e Tecnologia não se comportam como (B) mercadorias, mas (C) como bens culturais: é por isso, talvez, que toda tentativa de transferência de tecnologia fracassa e resulta no (D) que não passa de alguma (E) forma efêmera de prestação de serviço.”

    a) “porém” / (portanto);
    b) “como” / (do mesmo modo que);
    c) “mas” / (e sim);
    d) “no” / (naquilo);
    e) “alguma” / (uma).

    5. Numa das frases abaixo, não se encontra exemplo da conjunção anunciada. Assinale-a:


    a) subordinativa concessiva -” Conquanto estivesse cansado, concordou em prosseguir”;
    b) subordinativa condicional - “Digam o que quiserem contanto que não me ofendam”;
    c) subordinativa temporal - “mal anoiteceu, iniciou-se a festa com grande entusiasmo” ;
    d) subordinativa final - “saiu sem que ninguém percebesse”;
    e) subordinativa causal - “como estou doente, não comparecerei”.

    6. “O destino do réu depende do juiz. O processo está com o juiz”. Utilizando-se um só período para reconstruir o que está sendo afirmado, teremos:


    a) o processo está com o juiz, embora o réu dependa do seu destino;
    b) o processo está com o juiz, de quem depende o destino do réu;
    c) o processo está com o juiz, cujo réu depende do seu destino;
    d) o processo está com o juiz, a quem depende o destino do réu;
    e) o processo está com o juiz, que dependa o destino do réu.

    7. Assinale o período em que ocorre a mesma relação significativa existente entre os termos grifados em: “a atividade científica é tão importante quanto qualquer outra atividade econômica”:


    a) o rapaz era tão aplicado, que em pouco tempo foi promovido;
    b) quanto mais estuda, menos aprende;
    c) tenho tudo quanto quero;
    d) sabia a lição tão bem como eu;
    e) todos estavam exaustos, tanto que se recolheram logo.

    8.No período - “Torna-se, portanto, imperativa uma revisão conceitual do modelo presente do processo de desenvolvimento tecnológico de modo a levar em conta o fator cultural como dominante” - a oração grifada traduz:

    a) concessão;
    b) conseqüência;
    c) comparação;
    d) condição;
    e) proporção.

    9. Assinale a opção em que as orações do período enunciado se relacionam por coordenação e subordinação e não apenas por coordenação:


    a) no aconchego / do claustro, na paciência e no sossego / trabalha e teima, e lima, e sofre, e
    sua;
    b) os camelôs ensinam nas ruas os mitos heróicos da meninice e dão aos homens que passam
    uma lição de infância;
    c) entre os camelôs das ruas, uns falam pelos cotovelos e outros, coitados, têm a língua atada;
    d) os camelôs vendem canetinhas-tinteiro por quase nada, mas elas jamais escrevem coisa alguma;
    e) o camelô dos brinquedos de tostão oferece balõezinhos de cor, mostra bonequinhos jogadores
    de box, exibe no chão da calçada pererecas verdes.

    10. Assinale o item com oração sub. adjetiva explicativa:


    a) nem tudo que reluz é ouro;
    b) O aluno que estuda é aprovado;
    c) meu irmão, que mora em Petrópolis, está doente;
    d) meu irmão que mora em Petrópolis está doente;
    e) os cachorros que latem não mordem.

    11. Assinale a oração em que a substituição da expressão grifada altera sensivelmente o sentido do enunciado:


    a) “em lugar de nos conduzirem a desejável autonomia.” / em vez de;
    b) “eliminando, assim, seus talentos de processo...” / com isso;
    c) “embora muitos estudiosos defendam que a característica...” / conquanto;
    d) “pois toda preocupação intelectual do homem não deixa de ser... “ / logo;
    e) “no entanto, por causa da situação de dependência cultural ... “ / todavia.

    12.No período - “E quanto mais andava mais tinha vontade”, ocorre ideia de proporção.
    Assinale a opção em que tal idéia NÃO ocorre:


    a) quanto mais leio este autor menos o entendo;
    b) choveu tanto, que não pudemos sair;
    c) à medida que corria o ano, o nosso trabalho era maior;
    d) quanto menos vontade, mais negligência;
    e) quanto mais se lê, mais se aprende.

    13.No trecho - “A lua deitava-se pelo mundo. Era um mar de leite por cima das coisas” -, o segundo período estabelece com o primeiro uma relação de:


    a) contraste;
    b) comparação;
    c) condição;
    d) explicação;
    e) conclusão.

    14.No trecho - “Poeta primitivo, canta a natureza na mesma linguagem da natureza” - a expressão grifada corresponde a:

    a) mesmo sendo poeta primitivo;
    b) até sendo poeta primitivo;
    c) além de ser poeta primitivo;
    d) antes de ser poeta primitivo;
    e) por ser poeta primitivo.

    15.Passada a tempestade, recolheu as velas”, a oração grifada é reduzida do particípio com valor de:


    a) adverbial temporal;
    b) adverbial condicional;
    c) substantiva apositiva;
    d) substantiva predicativa;
    e) adverbial causal.

    16. “Choveu, portanto haverá boas colheitas”. Em qual das orações abaixo, a conjunção tem o mesmo valor do exemplo acima?

    a) saiu, logo que ela entrou;
    b) apressa-te, pois o tempo é pouco;
    c) vives mentindo; logo, não mereces fé:
    d) leve-lhe flores, pois ela aniversaria amanhã;
    e) não veio, que estava indisposto.

    17. “Estudando sem método, seremos reprovados.”,é oração reduzida de gerúndio, com valor de subordinada:

    a) final;
    b) concessiva:
    c) consecutiva;
    d) condicional;
    e) conformativa.

    18.
    01. Todos os períodos são compostos por subordinação EXCETO:


    a) não se preocupe que logo a trarei;
    b) dei-lhe sinal que saísse logo;
    c) todos sabem que o homem é mortal;
    d) ele afirmou que não a vira;
    e) é tão feio que assusta.

    02. A oração sublinhada está corretamente classificada, EXCETO em:

    a) “se Madalena me visse assim, com certeza me achava extraordinariamente feio.” (oração subordinada adverbial condicional)
    b) “levanto-me, procuro uma vela, que a luz vai apagar-se”; (oração coordenada sindética explicativa)
    c) “de longe em longe sento-me fatigado e escrevo uma linha”; (oração coordenada sindética aditiva)
    d) “e falando assim, compreendo que perco o tempo”; (oração subordinada substantiva objetiva direta) .
    e) “foi este o modo de vida que me inutilizou.” (oração subordinada substantiva predicativa)

    19.No seguinte grupo de orações sublinhadas:


    1) é bom que você venha;
    2) não esqueças que és fiel;

    Temos orações subordinadas respectivamente:

    a) objetiva direta, subjetiva:
    b) subjetiva, objetiva direta:
    c) objetiva direta, adverbial temporal:
    d) subjetiva, predicativa:
    e) predicativa, objetiva direta.

    20. Assinale a construção que pode substituir, sem provocar alteração fundamental de sentido, o tempo grifado em “e viu a esperança balançando.”

    a) que balançou;
    b) que teria balançado;
    c) que havia de balançar;
    d) que tinha balançado;
    e) que balançava.

    GABARITO

    1. B
    2. D
     3. C
    4. A
    5. D
    6. B
    7. D
    8. B
    9. B
    10. C
    11. E
    12. B
    13. D
    14. E
    15. A
    16. C
    17. D
    18. 1.A/2.E
    19. B
    20. E

    Até já,
    Eliane Vieira

    23 julho 2009

    Ponto e Vírgula e Ponto Final - Concurso


    Sabemos que, em Concursos ou Vestibulares, questões de Pontuação são frequentemente cobradas em Provas de Português. No [Português | Concurso], esse assunto foi largamente abordado em aulas como:


    Hoje, falarei sobre o ponto e vírgula (;), ponto final (.), dois pontos (:), ponto de interrogação (?), ponto de Exclamação (!) Aspas (" "), Travessão ( - ) Parênteses (()) assuntos cobrados tanto em Português quanto em Redação. Vamos à aula!


    • Ponto e Vírgula: usa-se para separar:
    1. orações independentes (coordenadas) que têm certa extensão, sobretudo se tais orações possuem partes já divididas por vírgula:

    "Uns trabalhavam, esforçavam-se, exauriam-se; outros folgavam, descuidavam-se, não pensavam no futuro."


    2. Para separar as partes principais de uma frase.

    "Recife e Olinda são cidades de Pernambuco; Petrópolis, Teresópolis, Friburgo, do Rio de Janeiro.




    3. Para separar os diversos itens de uma lei, de um decreto...

    "Art.12. Os cargos públicos são providos por:
    I - Nomeação;
    II - Reversão;

    • Ponto Final

    1. No período simples:

    A família representa tudo na vida de uma pessoa.

    2. No período composto:

    João comeu feijão, e Maria bebeu suco.

    3. Nas abreviaturas:

    d.C - depois de Cristo

    • Dois pontos - Usa-se para:
    1. Anunciar a fala do personagem:

    O professor falou:
    - Todos para sala!

    2. Anunciar uma enumeração:

    Homens, geralmente, preferem as seguintes opções de vida: mulher, cerveja e futebol.

    3. Anunciar uma citação:

    "Aristóteles dizia a seus discípulos: Meus amigos, não há amigos"

    • Ponto de Interrogação: coloca-se no fim de uma oração para indicar uma pergunta direta.
    Quer sair?
    • Ponto de Exclamação: emprega-se depois de interjeições ou de oração que sugerem espanto, admiração:
    Oba! Adoro sorvete!

    • Reticências: indicam interrupção ou suspensão de um pensamento, hesitação.
    "Quem conta um conto..."
    • Parênteses: separam uma reflexão, um comentário ou uma explicação.
    Aquele menino (que por sinal é meu filho) vai levar uma surra.

    • Travessão: Indica mudança de interlocutor; evidencia uma frase, expressão ou uma palavra:
    O aluno - disse o professor - não chegou ainda.

    - Quantos biscoitos você quer?
    - Apenas um.



    • Aspas: usam-se para:
    a) Indicar uma citação:

    Um sábio disse:
    "Agir na paixão é embarcar durante a tempestade."

    b) dar ênfase a palavras ou expressões:

    A palavra "estudo" está presente 24h na mente dos concurseiros.

    Até o próximo artigo,
    Eliane Vieira

    Verbo Requerer - Concurso

    verbo
    Certamente, verbos não é uma matéria tão amigável em se tratando de Português |Concursos.
    Precisamos vencer os traumas passados e seguir em frente na labuta verbal.
    Conjugarei hoje o verbo Requerer, por ser muito cobrado em concurso, por apresentar algumas semelhanças com o verbo querer, enfim por ser difícil mesmo.
    Estamos juntos?

    • Requerer - apesar de algumas semelhanças com o verbo QUERER, apresenta conjugação distinta, observe:
    • Indicativo
    Presente: requeiro, requeres, requer, requeremos, requereis, requerem.
    Pretérito perfeito: requeri, requereste, requereu, requeremos, requerestes, requereram.
    Pretérito imperfeito: requeria, requerias, requeria, requeríamos, requeríeis, requeriam,
    Pretérito mais-que-perfeito: requerera, requereras, requerera, requerêramos, requerêreis, requereram.
    Futuro do presente: requererei, requererás, requererá, requereremos, requerereis, requererão.
    Futuro do pretérito: requereria, requererias, requereria, requereríamos, requereríeis, requereriam.

    • Subjuntivo
    Presente: requeira, requeiras, requeira, requeiramos, requeirais, requeiram.
    Pretérito imperfeito: requeresse, requeresses, requeresse, requerêssemos, requerêsseis, requeressem.
    Futuro: requerer, requereres, requerer, requerermos, requererdes, requererem.

    • Imperativo
    Afirmativo: requere, requeira, requeiramos, requerei, requeiram.
    Negativo: não requeiras, não requeira, não requeiramos, requeirais vós, não requeiram.

    • Formas nominais
    Infinitivo impessoal: requerer.
    Infinitivo pessoal: requerer, requereres, requerer, requeremos, requererdes, requererem.
    Gerúndio: requerendo.
    Particípio: requerido.

    Até já,
    Eliane Vieira

    22 julho 2009

    Adjunto Adnominal - Videoaula

    adjuntoAula sobre Adjunto Adnominal postada no YouTube.

    Sintaxe - Exercícios com Gabarito

    sintaxe-exercícios
    Já falamos neste blogue sobre todos os termos do período simples, fizemos alguns exercícios separados por assunto. Agora é o momento de treinar esses termos juntos, misturados e verificar como se saiu nos exercícios, topa?
    Se quiserem, postem o número de acertos e faremos um ranking. Abraço!


    Complemento Nominal - Vídeo

    complementoAula nova sobre Complemento Nominal, espero que gostem!

    Regência Verbal - Exercícios com gabarito

    exercícios regência
    Para os leitores do [Português | Concurso], disponibilizo 14 Exercícios de Regência Verbal com Gabarito. Espero que treinem. Se houver dúvidas, usem os comentários! Bons Estudos!





    21 julho 2009

    Gramática - Evanildo Bechara

    gramática escolar do evanildo becharaJá indiquei para vocês, concurseiros, três livros sobre Português para Concursos. Quem não leu as indicações, pode fazer isso aqui.
    Seguindo para 4ª. indicação, falo hoje sobre a Gramática Escolar da Língua Portuguesa do professor e mestre Evanildo Bechara. Vejamos:


    • Minha Opinião: 
    1. Teoria aprofundada em todos os capítulos
    2. Possui, ao fim de cada capítulo, exercícios excelentes sobre a teoria apresentada
    3. Capítulo especial sobre interpretação de texto 
    4. Apesar do título Gramática Escolar, é também indicada para Concurso
    5. Apresenta o gabarito de cada exercício, porém em um pequeno encarte separado
    6. Possui exercícios de nível avançado;


    observação: para os que estão começando no estudo da Língua Portuguesa, sugiro os livros do Nilson Teixeira e Renato Aquino.
    Até já,
    Prof. Eliane Vieira

    20 julho 2009

    Regência Verbal - Vídeo

    vídeo
    Em primeira mão, posto aqui no [Português para Concurso] a aula que acabou de "sair do forno" - Regência Verbal.

    Regência Verbal II - Vídeo

    regência verbal
    Segunda parte da aula de Regência Verbal.

    Sujeito Simples e Composto - Vídeo

    sujeito simples e composto
    Nesta aula você aprenderá a classificar e reconhecer os sujeitos simples e composto de forma Clara e Objetiva.


    Bons Estudos!

    Matemática - Apostila para Concurso

    matemática
    Ontem estreamos aqui no [Português | Concurso] a seção "Download". Esta será para disponibilizar material grátis para concurso público. Decidi não só publicar os de Português, mas também os de outras disciplinas... Hoje é a vez da Matemática!
    Vamos ao link:

    • Matemática para Concursos


    Termos de Uso
    : Todos os links e arquivos que se encontram no site, estão hospedados na própria Internet, somente indicamos onde se encontra, não hospedamos nenhum CD ou programas que seja de distribuição ilegal. - Qualquer arquivo protegido por algum tipo de lei deve permanecer, no máximo, 24 horas em seu computador. - Eles podem ser baixados apenas para teste, devendo o usuário apagá-lo ou comprá-lo após 24 horas. - A aquisição desses arquivos pela internet é de única e exclusiva responsabilidade do usuário. - Os donos, webmasters e qualquer outra pessoa que tenha relacionamento com a produção do site não têm responsabilidade alguma sobre os arquivos que o usuário venha a baixar e para que irá utilizá-los.

    Regência Verbal - Concurso

    regência verbal
    A relação de dependência que se estabelece entre um verbo e seus complementos é chamada regência verbal. Nessa relação, os complementos podem vir, diretamente ou indiretamente, ligados ao verbo por meio de uma preposição. Também é importante ressaltar que a mudança de regência pode atribuir ao verbo mais de um significado.
    Veremos agora os verbos que mais caem em provas, quando se trata de Concurso Público.


    • ASPIRAR
    a) VTD - Sorver, respirar:


    Aspiramos o ar poluído das grandes cidades.

    b) VTI - Pretender, desejar :


    Os candidatos aspiravam a um cargo público.


    • ASSISTIR
    a) VTI - Estar presente, presenciar:


    Ontem assisti ao filme do Harry Potter.

    b) VTD ou VTI - Acompanhar, prestar assistência:


    O médico assiste o doente.
    O médico assiste ao doente.

    c) VI - Morar, residir (rege adjunto adverbial com a preposição "em")


    Ele assiste em Caxias.


    • CHAMAR
    a) VTD - Convocar, fazer vir


    Chamem a polícia!
    Chamei os alunos da sala 501.

    b) VTD ou VTI - Cognominar, qualificar, denominar + predicativo do objeto


    Chamava-o irresponsável.
    Chamava-lhe irresponsável.
    Chamava-o de irresponsável.
    Chamava-lhe de irresponsável.


    • CHEGAR
    a) VI - Indica lugar (exige a preposição "a")


    Cheguei ao teatro de ônibus.
    Vou à praia sempre.



    • ESQUECER / LEMBRAR
    a) VTD (quando não pronominais)


    Esqueci o nome daquele rapaz.
    Lembrei o nome dele.

    b) VTI (quando pronominais, exigem a preposição "de")


    Esqueci-me de seu aniversário.
    Lembrei-me de seu aniversário.

    c) Há ainda uma terceira construção para esses verbos. Observe:


    Esqueceram-me as chaves em casa.


    Dica 1: Repare que, nesta construção, o sujeito é "as chaves", logo se dá a concordância com "Esqueceram-me". Na construção: " Esqueci-me de seu aniversário" o sujeito é oculto "eu".


    • INFORMAR
    a) VTDI - Dar notícias, esclarecer


    O professor informou o aluno de sua nota.
    O professor informou o aluno sobre sua nota.


    • MORAR / RESIDIR
    a) VI - Exigem adjuntos adverbiais com a preposição "em"


    Moro em São Paulo.
    Resido em Natal.


    • OBEDECER / DESOBEDECER
    a) VTI - Exigem preposição "a"


    O bom filho obedece aos pais.
    Desobedecer às leis é crime.

    • PAGAR / PERDOAR
    a) VTD - Quando o objeto é coisa


    Paguei a dívida.
    Cristo perdoou os pecados.

    b) VTI - Quando o objeto é pessoa



    Paguei ao professor.
    Perdoei aos inimigos

    c) VTDI - Objeto Direto (coisa) e Objeto Indireto (pessoa)


    Paguei a dívida ao professor.

    • PREFERIR
    a) VTDI - Decidir entre uma coisa e outra


    Prefiro o amor à guerra.
    Prefiro pizza a sanduíche.

    b) VTD - Dar primazia a, determinar-se por


    Preferimos perfumes importados.

    • QUERER
    a) VTD - Desejar


    Ela queria somente o corpo, nada mais.

    b) VTI - Estimar, querer bem


    Quero bem a meus amigos.
    Quero-lhe, meu amorzinho.

    • SIMPATIZAR / ANTIPATIZAR

    a) VTI - Exige a preposição "com"

    Simpatizava com a ideia.
    Antipatizei com ele.




    Dica 2: tais verbos não são pronominais, portanto é incorreto:


    Simpatizei-me com você.
    Ele se antipatizou comigo.


    • VISAR
    a) VTD - Mirar, pôr visto


    Visou o veado e atirou.
    Visou o cheque para mim.

    b) VTI - Ter em vista, pretender (exige preposição "a")


    Este blogue visa ao ensino de língua portuguesa.


    • NAMORAR
    a) VTD - Cortejar, Desejar

    João namora Maria.


    Dica 3: o verbo namorar, por ser TD, não aceita a preposição "com", logo está incorreto:


    João namora com Maria.


    Dúvidas? Postem-nas nos comentários!
    Prof. Eliane Vieira

    Direito do Trabalho - Apostila Para Concurso

    direito do trabalho
    Apostila de Direito do Trabalho para Técnico Judiciário do TRT.
    • Direito do Trabalho - Apostila


    Termos de Uso
    : Todos os links e arquivos que se encontram no site, estão hospedados na própria Internet, somente indicamos onde se encontra, não hospedamos nenhum CD ou programas que seja de distribuição ilegal. - Qualquer arquivo protegido por algum tipo de lei deve permanecer, no máximo, 24 horas em seu computador. - Eles podem ser baixados apenas para teste, devendo o usuário apagá-lo ou comprá-lo após 24 horas. - A aquisição desses arquivos pela internet é de única e exclusiva responsabilidade do usuário. - Os donos, webmasters e qualquer outra pessoa que tenha relacionamento com a produção do site não têm responsabilidade alguma sobre os arquivos que o usuário venha a baixar e para que irá utilizá-los.

    Pronomes Pessoais - Concurso

    pronome pessoal
    Continuando nossa aula sobre pronomes pessoais, falarei das outras 5 regras fundamentais para esta matéria de grande incidência em Concurso Público. Para os que chegam agora, sugiro a leitura da aula

    * Pronomes - Concurso


    • Pronomes Pessoais
    6. Os pronomes oblíquos conosco e convosco serão substituídos por com nós e com vós, quando seguidos de palavras enfáticas como mesmos, próprios, outros, todos, ambos ou de numeral.
    Os professores brigaram com nós três.
    Quero falar com vós mesmos.


    7. Os pronomes oblíquos podem aparecer combinados entre si. Observe:

    me + o = mo / me + os = mos / me + a = ma / me + as = mas / te + o = to / te + os = tos / te + a = ta / te + as = tas / lhe + o = lho / lhe + os = lhos /nos + o = no-lo / nos + os = no-los / vos + o = vo-lo / vos + os = vo- los / lhe + o = lho / lhes + os = lhos.

    Dei o documento a ti = Dei-to
    Indiquei a saída a todos = Indico-lha


    8. As formas oblíquas O(s), A(s) são empregadas como complemento de (VTD), ao passo que as formas LHE (s) são empregadas como complemento de (VTI ou VTDI).


    O menino comprou-o. (VTD.)
    O filho deu-lhe o presente. (VTI.)

    Atenção: o pronome lhe também pode ser empregado como complemento nominal ou, ainda, adjunto adnominal.


    Eu lhe sou útil. (C.N - completa o sentido do adjetivo útil)
    Beijou-lhe os pés. (Adj. Adnominal (valor de posse))


    9. O pronome oblíquo pode funcionar como sujeito. Isso ocorre com os verbos causativos e sensitivos - deixar, fazer, ouvir, mandar, sentir , ver - seguidos de infinitivo.
    Deixei-o sair.
    Vi-o fazer o bolo.
    Mandou-a estar à porta.

    Dica 1: o fundamental é perceber que as orações "o sair", "o fazer o bolo" e " a estar à porta" são reduzidas de infinitivo, basta, então, desenvolvê-las e o sujeito se fará claro. Veja:
    Deixei-o sair = Deixei que ele saísse.


    O pronome ele é o sujeito do verbo saísse. Como está representado pelo oblíquo "o", este exerce a mesma função sintática daquele.

    10. Os pronomes oblíquos podem ser repetidos na frase para dar ênfase.

    A mim, ninguém me engana.
    A ti, tocou-te o poema .

    Faça aqui os exercícios desta matéria.

    1. Pronomes - Exercícios com Gabarito
    2. Pronomes - Exercícios II

    Abraço,
    Prof. Eliane Vieira

    19 julho 2009

    944 Exercícios Para Concurso

    exercícios
    Hoje, estreio aqui, no [Português | Concurso], a seção "Download".
    O objetivo é disponibilizar para todos os leitores e concurseiros material grátis para Concurso Público.

    Para o material pertinente à Língua Portuguesa, estou disponível para tirar as dúvidas de vocês (se houver), mas quando se tratar de Direito, Matemática etc., não poderei ajudá-los. :(
    Abraço,
    Prof. Eliane Vieira

    • 944 Exercícios de Língua Portuguesa


    Termos de Uso
    : Todos os links e arquivos que se encontram no site, estão hospedados na própria Internet, somente indicamos onde se encontra, não hospedamos nenhum CD ou programas que seja de distribuição ilegal. - Qualquer arquivo protegido por algum tipo de lei deve permanecer, no máximo, 24 horas em seu computador. - Eles podem ser baixados apenas para teste, devendo o usuário apagá-lo ou comprá-lo após 24 horas. - A aquisição desses arquivos pela internet é de única e exclusiva responsabilidade do usuário. - Os donos, webmasters e qualquer outra pessoa que tenha relacionamento com a produção do site não têm responsabilidade alguma sobre os arquivos que o usuário venha a baixar e para que irá utilizá-los.




    Blogues e Sites sobre Concurso

    blogs
    Eis alguns blogues ou sites que recomendo aos leitores do [Português |Concurso]. Aproveitem!


    17 julho 2009

    Acentuação Gráfica - Concurso

    acentuaçãoSabemos que, desde janeiro do presente ano, entrou em vigor o Novo Acordo Ortográfico, porém, vale lembrar que, no concurso público a cobrança pode ser tanto com as novas mudanças quanto com as regras antigas. Logo, para garantir, é melhor saber as duas!
    Apresento, nesta aula, as regras principais (sem alteração) e as pequenas mudanças ocorridas com o novo acordo (com exceção do hífen, pois este merece uma aula só para ele). Bons Estudos!

    • Monossílabos Tônicos: são acentuados os terminados em A(s) / E(s) / O(s).
    pá, fé, lá, pó, nós, só(s), vá, chá(s), vê(s), pôs

    • Oxítonos: são acentuados os terminados em A(s) / E(s) / O(s) / EM / ENS.

    irá, pivô, também, cajá, vatapá, café, ralé, cipó, xilindró, ninguém, amém, parabéns.


    • Paroxítonos: são acentuados os terminados em:
    a) US – ônus, bônus, vírus, ânus, Vênus...
    b) Ditongos - falência, imóveis, eloquência, régua, série, história...
    c) UM(ns) – álbuns, álbum, fórum, fóruns...
    d) L – útil, volátil, improvável, fácil, incrível, amável...
    e) I(s) – biquíni, táxi, lápis,júri...
    f) R – repórter, hambúrguer, fêmur, câncer, caráter...
    g) Ã(s) – ímã, órfã....
    h) X – tórax, látex, córtex...
    i) N – hífen, pólen, elétron...
    j) PS – fórceps, bíceps, tríceps...


    Atenção!
    Não se acentua as paroxítonas terminadas em ENS.
    Exemplo: hifens, polens.
    Mas, pólen, hífen.
    • Proparoxítonos: todos devem ser acentuados.
    ônibus, lágrima, médico, biótipo, álibi...



    Mudanças (Novo Acordo Ortográfico)

    1. O alfabeto volta a ter 26 letras. Inclui-se, portanto, as letras K, Y, W

    show, Willian, Kaiser...

    2. O trema (¨) é abolido. Os grupos gue, gui, que, qui não são mais marcados por esse sinal.

    linguiça, cinquenta, aguenta, frequência, tranquilo...

    Atenção: o trema só permanece em nomes próprios estrangeiros (e derivados)

    Müller, mülleriano.

    3. Não se usa mais acento nos ditongos abertos Ói, Éi em palavras paroxítonas.

    ideia, geleia, boia, Coreia, plateia, joia...

    Atenção: nas palavras oxítonas e monossílabas o acento permanece.

    constrói, papéis, herói...

    4. Não se acentuam as paroxítonas, com I ou U tônicos antecedidos por ditongo.

    feiura, baiuca

    Atenção: se a palavra for oxítona terminada por I ou U tônico, o acento permanece

    Piauí, Grajaú,

    * Se o I ou U tônicos forem precedidos de ditongo crescente, o acento permanece.

    Guaíba

    5. Não se acentuam os verbos CRER, LER, VER, DAR, quando estiverem na 3ª. pessoa do plural.

    veem, creem, leem, deem.

    6. Não se acentuam os hiatos do grupo OO

    voo, abençoo, perdoo...

    7. Não se usa mais o acento diferencial nas palavras "pára/para, péla (s)/pela(s), pêlo(s) / pelo(s), pólo(s)/polo(s) e pêra / pera".


    Um instante que não para.
    Não joguei polo hoje.
    O pelo do gato está fraco.
    Quero uma torta de pera.

    Atenção: o acento permanece em pode/pôde.

    Ele pode tudo! (3ª pessoa do singular do presente do indicativo)
    Ele não pôde vir ontem. (3ª pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo)

    * O acento diferencial também permanece nos pares por/pôr.

    A saída é por ali. (preposição)
    Vou pôr a mesa. (verbo)

    8. Os verbos Ter e Vir não perdem o acento; esse é usado para diferenciar o plural do singular.

    Ele tem o telefone da Patrícia.
    Todos têm o telefone da Patrícia.
    Jéssica vem de ônibus.
    Elas vêm de ônibus.

    Atenção: os derivados de Ter e Vir, permanecem com acentuação inalterada.

    Ele mantém a casa limpa.
    Eles mantêm a casa limpa.

    E você, o que achou das novas mudanças? Deixe seu comentário aqui.
    Prof. Eliane Vieira