03 junho 2009

4 Maneiras Fáceis de Diferenciar o Adjunto Adnominal do Complemento Nominal

adjunto adnominalxcomplemento nominal
Nas aulas anteriores, estudamos sobre o complemento nominal e o adjunto adnominal. Hoje falaremos sobre a diferença entre os dois termos, assunto bastante explorado em concurso público.

a) o Adjunto adnominal indica posse, qualidade ou matéria.

Livro do Pedro. (posse)
Livro de Matemática. (característica)
Relógio de ouro. (matéria)


b) O complemento nominal, como o próprio nome sugere, completa o sentido de um nome.

Ela tem medo de escuro.
(medo de quê?)

Temos confiança em Deus.
(confiança em quem?)

c) O adjunto adnominal refere-se a um substantivo concreto.

Sofá de couro.
Copo de vidro.

d) O complemento nominal refere-se a um adjetivo ou a um advérbio.

Achava-se pronto para tudo.
(adj.)
Agiu favoravelmente ao réu.
(adv.)

Até aqui, acredito que não haja tantas dificuldades; o problema é quando o termo preposicionado refere-se a um substantivo abstrato.
Se até hoje você ainda não entendeu a diferença, não se preocupe... Nas linhas abaixo, explicarei passo-a-passo esta diferença, vamos aos exemplos (não pisque!).

1. O elogio ao professor foi injusto.
2. O elogio do professor foi injusto.

No exemplo 1, o termo "ao professor" é alvo da ação indicada pelo substantivo 'elogio". Trata-se, portanto, de um complemento nominal.
No exemplo2, o termo "do professor" apenas delimita ou especifica mais claramente o sentido do substantivo abstrato "elogio", sem completar-lhe o sentido. Além disso, o substantivo "professor" é o agente da ação indicada pelo substantivo "elogio", logo exerce a funçao de adjunto adnominal.

Vejamos se estás afiado:
O termo abaixo destacado é AA ou CN?

a) "Nenhum de nós seria capaz de tanto". (Machado de Assis)
b) "O interesse do povo não diminuiu". (José Veiga)
c) "O olho da vida inventa o luar". (Gilberto Gil)

Não fiquem acanhados, postem as dúvidas!

Até já,
Prof. Eliane Vieira

10 comentários:

  1. a) "Nenhum de nós seria capaz de tanto".
    "de tanto ninguem é capaz, alguém É capaz de tanto" entao ele sofre ação, sendo complemento nominal. Também pensei que por capaz ser adjetivo é outra explicação. É isso?

    b) "O interesse do povo não diminuiu".

    Nesta o "povo não diminuiu o interesse", como o povo é agente então adjunto adnominal. Também o "interesse É do povo", como expressa posse então só pode ser AA. É isso mesmo ou só é AA por causa do último?

    c) "O olho da vida inventa o luar".

    Nesta "olho" é substantivo concreto, portanto é adjunto adnominal.

    ResponderExcluir
  2. Os explicações contidas em : a), b) e c) estão certíssimas! É isso aí! :D

    ResponderExcluir
  3. Nossa que bom, já estava meio desanimado com esses CN e AA....:(

    ResponderExcluir
  4. "Ninguem pensava em problemas *de segurança*" (Compl. Nominal ou Adj Adnominal??)

    ResponderExcluir
  5. então quer dizer que quando o sujeito sofre a Ação
    é um complemento nominal?
    e quando pratica a ação é adjunto adnominal?
    Elaine.

    ResponderExcluir
  6. Elaine, se estivermos diante de substantivo abstrato, esse é o raciocínio para diferenciar o complemento do adjunto.

    ResponderExcluir
  7. Muito bom adorei o site!!!!! Obrigada

    ResponderExcluir
  8. Muito bom!Explicação clara e objetiva.Mesmo após pesquisar em fontes diversas,somente aqui, pude entender realmente.Obrigado!

    ResponderExcluir
  9. Muito bom! Claro e objetivo.Após diversas pesquisas,somente aqui, entendi de fato as diferenças entre o complemento e adjunto adnominal.Obrigado!

    ResponderExcluir
  10. Muito bom! Claro e objetivo.Após diversas pesquisas,somente aqui, entendi de fato as diferenças entre o complemento e adjunto adnominal.Obrigado!

    ResponderExcluir

1. Serão removidos comentários ofensivos,obscenos, contendo gírias, palavras de calão ou estritamente publicitários.

2. Por favor, identifique-se,não serão mais permitidos comentários anônimos;

3. Use sua conta Google ou Open ID para comentar;